WHITNEY HOUSTON E O MEGA-RITUAL DO GRAMMY 2012



 O Grammy 2012 teve lugar num contexto horrível: a esteira da morte súbita e misteriosa de Whitney Houston. O show continuou, no entanto, mas não sem uma grande quantidade de símbolos estranhos e eventos que deixaram uma coisa muito clara: há definitivamente um lado negro no mundo do entretenimento. Vamos olhar para os fatos que cercaram a morte de Whitney Houston, os elementos simbólicos do Grammy 2012 (incluindo a performance ritualística de Nicki Minaj) e ver como a cerimônia se transformou em um mega-ritual.
Eu tive um sentimento que em 2012 a agenda oculta da indústria do entretenimento seria impulsionada em alta velocidade. Eu estava certo: no espaço de uma semana, a noite mais importante no esporte (o Superbowl – consulte o artigo sobre ele aqui) e na música (o Grammy 2012) foi infundida com elementos ritualísticos testemunhados por milhões de telespectadores. Enquanto o Superbowl  durou apenas 13 minutos, o ritual que envolveu o Grammy durou dias e suas conseqüências ainda estão em curso com os fatos estranhos  referentes a Whitney Houston que continuam em destaque na mídia.

Este artigo irá listar uma série de fatos e eventos que ocorreram antes, durante e após o Grammy 2012 que têm um significado simbólico no grande esquema das coisas. Enquanto alguns dos fatos mencionados aqui podem ter sido fruto de uma coincidência ou um “momento infeliz”, eles ainda se reuniram em um grande caso clássico da sincronicidade. Em outras palavras, coincidências aparentes, por vezes, revelam um padrão subjacente por trás dos eventos.

“Carl Jung descreveu a sincronicidade como “a experiência de dois ou mais eventos que são aparentemente não relacionados causalmente ou improváveis ​​de ocorrer juntos por acaso e que são observados a ocorrer juntos em uma maneira significativa. Eventos de sincronicidade revelam um padrão subjacente, um quadro conceptual que engloba, mas é maior do que, qualquer um dos sistemas que exibem a sincronicidade. Eventos simultâneos que primeiro parecem ser coincidência, mas mais tarde vêm a ser causalmente relacionados são denominados não-coincidência.”

Quando olhamos para os fatos e os acontecimentos que rodearam a morte de Whitney Houston juntamente com os elementos simbólicos do Grammy 2012, o “evento” todo tem a aparência de um ritual oculto, complementado com um sacrifício de sangue, uma celebração e até mesmo um “renascimento”. Algumas das coisas descritas abaixo foram pré-planejadas, enquanto outras foram possivelmente apenas coincidências estranhas. No entanto, a energia avassaladora e quase palpável que emana do Grammy 2012 definitivamente fez alinhar algumas coisas de uma forma sincrônica. Vamos olhar para os acontecimentos mais importantes que aconteceram durante esse final de semana fatídico.

Fatos estranhos em torno da morte de Whitney Houston


Se você leu outros artigos neste site, você deve ter notado que tudo o que rodeia Whitney Houston vai espantosamente em encontro ao outros “sacrifícios” de celebridades. Relatos de acontecimentos estranhos antes da morte, comportamento bizarro das autoridades quando a morte foi descoberta, relatos conflitantes, indefinição em torno da causa da morte e, ainda por cima, uma “resposta” preocupante da indústria da música através do Grammy. O caso seguiu ao mesmo padrão assim como várias mortes de outras celebridades que foram atribuídas a drogas apesar de muitos relatos conflitantes. Como foi o caso para essas outras celebridades, a mídia quase que automaticamente lançou uma campanha mostrando Whitney como uma viciada em drogas sem esperança. Talvez ela fosse um viciada em drogas, mas isso pode ser apenas a ponta do iceberg … um sintoma da verdadeira doença que matou Whitney: a indústria da música.

Eventos Estranhos

Como nos casos de Michael Jackson, Amy Winehouse, Heath Ledger, Brittany Murphy e muitos outros, acontecimentos bizarros precederam e se seguiram à morte de Whitney Houston. Depois de analisar todas essas notícias, não pude evitar, mas me pergunto: foi a morte de Whitney realmente um acidente ou foi um sacrifício deliberado planejado por “forças invisíveis”? Enquanto a maioria dos relatos da mídia são enfiados na cabeça das pessoas de que “Whitney Houston = drogas”, algumas fontes revelam outros detalhes que possam levar a outras linhas de pensamento. Eis aqui o relato de Roger Friedman de coisas que aconteceram no Beverly Hilton em 11 de fevereiro:

A morte de Whitney: um incidente anterior?

A morte de Whitney Houston fez noite uma viagem de um dia longo, no Beverly Hilton. Enquanto o jantar de Clive Davis do Grammy teve que continuar lá embaixo, no salão de festas com 800 convidados já na apresentação enquanto a notícia ia sendo contada -Whitney permaneceu do mesmo modo, por assim dizer, em sua suíte no quarto andar. Ela não foi removida até momentos antes da festa terminar pouco depois da meia-noite. Ela estava na suite, descoberta em sua banheira. Mas havia muitas pessoas na suíte quando isso aconteceu às 3:50 da tarde, incluindo sua filha Bobbi Kristina, seu irmão Gary, cunhada Pat Houston, e um outro figurante nessa história – um amigo da vida noturna que tinha a guiando por volta da cidade nos últimos dias enquanto ela foi fotografada em estado de coação.

O que você não sabe é que em torno de 11pm, os paramédicos foram chamados de volta para o quarto andar. A segurança e a polícia correram de volta para o 4 º andar. Uma cadeira de rodas médica com restrições foi trazida na entrada de volta para o hotel. Bobbi Kristina “apavorou-se”, bem, ela estava lá em cima por horas com o corpo morto de sua mãe no quarto ao lado. Era compreensível. Os paramédicos pensaram que iam ter que levá-la ao hospital. Mas a calma foi restabelecida. Durante dez minutos, porém, a segurança esvaziou todo o lobby do hotel, enquanto o show estava acontecendo dentro do salão. Eu estava lá naquele momento, e foi uma das mais estranhas cenas que vi.

Depois há a misteriosa história de um vazamento que ocorreu na noite anterior do grupo de suites de Whitney. Um homem no terceiro andar bem debaixo da suíte de Houston teve água caindo em cascata de cima de seu banheiro às 2:30 am. Não foi apenas uma gota. O homem chamou a segurança, em seguida, subiu ao quarto andar para ver o que estava acontecendo. Ele jura para mim que era a banheira de Whitney que estava transbordando. Ele também diz que uma televisão de tela plana tinha sido quebrada, a tela foi esmagada. Minhas fontes do hotel dizem que houve uma “fuga”, mas que não era no quarto de Whitney. “Eles [grupo dela] tem um monte de quartos lá em cima”, diz a fonte do hotel. Minha fonte, este homem, insiste que disseram a ele que era o quarto de Whitney Houston. Parece ter sido parte do seu conjunto de quartos.

Há muitos mistérios aqui. Nenhum deles têm sido relatados ou resolvidos por TMZ ou um outro desses tablóides. Eu conheço o homem que teve que puxar Whitney para fora da banheira ontem e tentou reanimá-la.  Ele me disse: “Ela já estava morta. Não havia nada que eu pudesse fazer. “

Mais sobre a morte de Whitney e a festa do Grammy segue no próximo post. E acreditem, caros leitores, isso não é fácil. Eu conheci Whitney Houston e sua família há mais de 25 anos. Ela era uma menina bonita com um grande coração. Ela estava cheia de otimismo. Sua mãe é uma das melhores pessoas. As pessoas que trabalhavam para e com ela foram dedicadas a ela. Quando o choque se transforma em raiva, haverá um monte de dedo apontando. Mas no final, Whitney decidiu seu próprio mundo.
– Fonte: Forbes

Eu não sou um investigador criminal e eu não posso resolver todos os mistérios que cercam a morte de Whitney, mas o fato de que seu corpo estava lá por horas, enquanto uma festa pré-Grammy estava acontecendo logo abaixo é um pouco desapontante. Por que não foi simplesmente cancelada? Não é a presença do corpo morto de um cantor lendário no local exato da festa um motivo suficiente para cancelá-la? Houve algum tipo de emoção distorcida na festa logo abaixo do corpo de Houston?

Em outro artigo, Roger Friedman observou a presença de um estranho “informante de Hollywood” rondando Whitney Houston que também esteve em torno de Michael Jackson durante seu “período difícil”. Quem é esse cara?

O amigo misterioso de Whitney Houston também era amigo de Michael Jackson

Aqui está a única pessoa na história de Whitney Houston, cujo nome você ainda não ouviu, e que tem permanecido um mistério: um holandês de Amsterdam que atende pelo nome de Raffles van Exel. Ele também é conhecido – nos registros do tribunal , como Raffles Dawson e Benson Raffles. Ele estava no quarto andar do Hotel Beverly Hilton em uma das suites de Houston quando ela morreu. Ele apareceu lá embaixo, no átrio logo em seguida, usando óculos de aviador, soluçando.

Como de costume, tinha uma comitiva no reboque, incluindo Quinton Aaron, o ator que interpretou o jogador de futebol em “The Blind Side”. Raffles, em uma de suas muitas versões da PR Newswire, anunciou recentemente que ele está produzindo filmes com Aaron. É apenas um dos muitos empreendimentos que anuncia regularmente. Para alguém que não tem meios óbvios de apoio, ele está regular na PR Newswire e no You Tube. Em segundo, você pode encontrá-lo entrevistando amigos de Michael Jackson. Supõe-se que ele vende histórias aos tablóides. Ele regularmente inclui nomes de jornalistas dos tablóides como Kevin Frazier do “The Insider” em seus Tweets.

Apesar do choque da morte de Whitney, Raffles ainda foi lá embaixo à festa de Clive Davis. Ele estava vestido com roupas formais, estava com os tiquetes da Whitney na mão, e queria sentar à sua mesa. Apenas dentro do salão ele foi consolado por celebridades a quem ele relatou a sua história “Eu encontrei Whitney.” Gayle King abraçou-o. Quincy Jones ouviu pacientemente a sua história. Um segurança me disse depois, “Bem, ele estava lá em cima.” Ele também estava saindo com Houston durante toda a semana antes de sua morte. Na terça-feira, quando ela saiu de uma boate, toda despenteada, Raffles aparece em uma fotografia da TMZ como um cervo no holofote. Ele está em pé bem atrás dela em um terno azul. No Twitter, ele escreveu: “Pare de ler os blogs idiotas. Whitney teve um grande momento, ela estava linda. Nada havia de errado, foi apenas “intenso” naquele clube. “

Mas quem é Raffles van Exel? Ele é um dos mistérios de Hollywood. Eu o conheci em 2005, em torno da família Jackson durante o julgamento de abuso sexual de Michael Jackson. Depois de Michael ir para o exterior, Raffles foi visto muitas vezes com o pai de Michael, Joseph Jackson. Ele parece ser um “agente secreto” quando há um escândalo. Ninguém realmente sabe, mas ele está sempre onde há ação e celebridades. Na internet ele afirma possuir um número de empresas, incluindo Raffles Entertainment. Ele também foi processado duas vezes, uma vez por um parceiro em algo chamado Max Records, Inc., e uma vez por uma companhia de aviação privada em Los Angeles. Falei com a empresa de avião e eles disseram que não posso comentar porque a situação está em curso. No Twitter ele diz estar gerenciando “minha menina”, Chaka Khan. Há uma abundância de imagens de Raffles na internet com celebridades. Você pode vê-lo com todos, desde Magic Johnson a Sandra Bullock. Se alguma vez houve um Zelig na vida real, é ele.

Não é uma surpresa que Raffles transformou-se na história de Whitney Houston. Em outubro passado, ele e Whitney e outros viajaram para Carolina do Norte com a cunhada de Whitney Houston, Patricia,  para uma coisa chamada Cúpula Teen. Ele foi anunciado como parte da Fundação Patricia Houston, uma organização para a qual não há registro oficial. Pat Houston, casada com o irmão Whitney Gary, foi gerente de Whitney por anos (a fundação de Whitney para crianças deixou de funcionar anos atrás). Ela também é proprietária de uma loja de remessa na Carolina do Norte, e uma empresa chamada Marion P. Candles, com Whitney.

Procure por Raffles no funeral amanhã de Whitney. Nos velhos tempos, ele usava uma jaqueta amarela, cheia de pontos de interrogação como “The Riddler”. Na noite de sábado, quando ele recebou vários convidados para a festa de Clive Davis, ele estava usando um smoking tipo Michael Jackson. Ele mora no oeste de Hollywood agora, mas o seu domicílio oficial onde ele está sendo processado é Chicago. Ele não respondeu aos e-mails e inúmeras mensagens de telefone.
– Fonte: Forbes

Foi este homem instrumental no sacrifício de Whitney? Será que Whitney caiu nas boas graças da elite da indústria da música? Ela estava se tornando difícil de manipular? Foi ela sacrificada para introduzir a sua sucessora? Difícil dizer, mas Whitney parecia ter premonições sobre sua morte. Alguns relatos descrevem-na como “maníaca” e agitada enquanto outros afirmam que Whitney sentiu que “seus dias estavam contados”. Pouco antes de sua morte, Whitney foi flagrada entregando a cantora Brandy uma mensagem cujo conteúdo permanece um mistério.

O que estava na nota secreta Whitney para Brandy?

A cantora Brandy tem uma das últimas mensagens entregues por Whitney Houston – mas ela não conta a ninguém o que nela diz.

Em 9 de fevereiro em Los Angeles, Houston se aproximou da jovem cantora enquanto ela e a cantora Monica e o mentor Clive Davis estavam conduzindo uma entrevista com a E!

Um post no RyanSeacrest.com diz que Houston “arruinou” a entrevista, e depois continua a dizer “Whitney parecia uma maníaca enquanto ela falava a Monica sobre natação, duas horas por dia”, e visivelmente entregou uma nota para Brandy antes de abraçar Davis.”

Quando a E! perguntou depois a Brandy diretamente o que dizia o bilhete, ela respondeu: “Eu não vou apenas dizer o que era e só guardo para mim mesmo por minhas próprias razões pessoais.” Ela também disse à rede “Whitney significou tudo para mim … Ela é a razão pela qual eu canto. “

Brandy e Houston estrelaram o remake de 1997, de Rodgers e Hammerstein, “Cinderela”. Brandy também é a irmã mais velha do cantor Ray J, que havia supostamente retirado Houston ao longo dos dois últimos anos de sua vida. Ray J ganhou notoriedade em 2003 quando uma fita de sexo dele com Kim Kardashian foi divulgada ao público.

E! tem o vídeo de Houston entregando o bilhete para Brandy, e os comentários de Brandy a respeito de não revelar seu conteúdo.
– Fonte: MSNBC

O número 11

Ao lidar com rituais de ocultismo, a numerologia assume uma importância primordial. No caso de Whitney Houston, o número 11 é definitivamente um fator. Nos círculos ocultistas da elite, o número 11 é um “número mestre” (não pode ser reduzido) e, porque ele excede o número 10 (o número da perfeição) por 1, é geralmente associado com pressentimento ruim e magia negra. Cabalistas associam o número 11 com a transgressão da lei, a rebelião, a guerra, o pecado, feitiçaria e martírio.

Por esta razão, a elite oculta muitas vezes associa mega-rituais que envolvem sacrifícios com o número 11. Qual foi o maior mega-ritual dos tempos modernos? 11 de setembro – envolvendo as Torres Gêmeas. Em que momento exato podemos “lembrar” os soldados da I Guerra Mundial que sacrificaram suas vidas por seus governantes? Na décima primeira hora do décimo primeiro dia do décimo primeiro mês – Dia dos Veteranos, também conhecido como Dia da Lembrança.

Indo mais longe do que a data da sua morte, outro link associa Whitney e sua morte com Lady Gaga e um Grammy anterior. Como alguns sabem, Lady Gaga tinha laços estreitos com o estilista Alexander McQueen, que não era estranho ao ocultismo e simbolismo de controle mental no seu trabalho. McQueen morreu em 11 de fevereiro de 2010.

Durante o Grammy 2011, Gaga falou sobre a sua canção “Born This Way”:

“Eu preciso agradecer a Whitney Houston. Eu queria agradecer a Whitney, porque quando eu escrevi ‘Born this Way “, imaginei que ela estava cantando – porque eu não estava segura o suficiente para imaginar que eu era uma superstar. Então, Whitney, imaginei que você estava cantando ‘Born This Way’ quando eu a escrevi. “

“Born This Way” foi lançado em 11 de fevereiro de 2011. Exatamente um ano depois, Whitney Houston morre em 11 de fevereiro de 2012. Será que Gaga (ou seus manipuladores) sabem algo que o resto de nós não? Sua roupa, evidentemente, mostra que a morte estava em sua mente.
 Artistas costumam ter seus figurinos da cerimônia de premiação selecionados combastante antecedência. Aparentemente, a morte estava na mente de Gaga (ou  de seu manipulador).
Mesmo se não tivesse sido premeditado, seu figurino teria sido desrespeitoso.

Outro fato interessante: o número do quarto Whitney era 434 – que na numerologia cabala é igual a 11 (4 +3 +4).
Declarações de Veteranos da Indústria

Quem está em uma posição melhor do que os próprios artistas que trabalharam na indústria da música por anos para fornecer  informação perspicaz sobre a morte de Whitney Houston? Eles obviamente não detêm a verdade final e eles só poderão estar tentando dar sentido a coisas como o resto de nós, mas eles têm experiência quando se trata do funcionamento da indústria da música.

Durante uma entrevista no programa Good Morning America, a gigante da indústria, Celine Dion, claramente culpou a “má influência” do show business pela a morte de Whitney. Ela ainda afirmou “ter medo” do show business.

“É realmente triste que as drogas, pessoas ruins ou má influência causaram isso. Levou seus sonhos. E levou seu amor e maternidade. Quando você pensa sobre Elvis Presley e Marilyn Monroe e Michael Jackson e Amy Winehouse…entrando em drogas por qualquer motivo. É por causa do stress e má influência? O que acontece quando você tem tudo? O que acontece quando você tem amor, apoio da família, a maternidade? Você tem responsabilidades de mãe e então algo acontece e destrói tudo. É por isso que eu não faço festas e eu não saio. É por isso que eu não faço parte do show business. Nós temos que ter medo. Eu sempre disse que você tem se divertir e fazer música e você nunca pode fazer parte do show business porque não sabe no que vai se meter. Você tem que fazer seu trabalho e sair de lá. “
– Fonte: Vancouver Sun

É evitando o show business a razão pela qual Celine Dion consegue ficar relativamente livre de escândalos?

Outra diva legendária, Chaka Khan, foi ainda mais direto ao explicar a verdadeira causa da morte de Whitney. Durante uma entrevista com Piers Morgan, ela declarou:

“Eu acho que todos nós, como artistas, porque nós somos pessoas muito sensíveis, e esta máquina ao nosso redor, essa chamada” indústria da música”, é uma coisa tão demoníaca. Ela sacrifíca a vida das pessoas e suas essências na queda de um centavo … eu tinha um gerente que uma vez disse-me: ‘Você sabe que você vale mais dinheiro morta do que viva.”

Quer dizer, eu chorei por ela, muito ao longo dos anos, tantas vezes. De certa forma eu estou enlutada por ela, eu senti que havia algo que ia acontecer, porque ela estava tão perto do fio. “
– Fonte: Eonline

Chaka Khan estava exagerando quando usou os termos “demoníaco” e “sacrifício” ao descrever a indústria da música? A julgar pelo simbolismo encontrado nos prêmios Grammy, ela provavelmente estava certíssima.


O Mega-Ritual que foi o Grammy 2012

Os Grammy Awards foi apelidado de “maior noite da música” e, uma vez que a indústria da música é governada por uma elite oculta”, a “maior noite da música” reflete esse código da elite. Por causa da morte de Whitney Houston, a edição 2012 do Grammy teve uma sensação peculiar que era quase palpável através da tela da televisão. Intencionalmente ou não, a morte de Whitney foi amarrada com a cerimônia de premiação e com o simbolismo que transpareceu a partir dela.

A cerimônia começou de uma forma muito peculiar, especialmente dado o contexto da morte do Whitney. Bruce Springsteen gritou para a multidão “Você está vivo aí?”, Em seguida, cantou a música “We Take Care of Our Own”(Nós cuidamos de nós mesmos), um mantra que se repetiu durante toda a noite. Bem, eu conheço alguém que definitivamente não estava vivo ali – a própria pessoa que estava na mente de todos quando o show começou. E, nos últimos anos de sua vida, ela não estava particularmente bem cuidada, também. Na verdade, como eu disse no artigo, O que aconteceu com Whitney Houston, acredito que algo terrível aconteceu com a Whitney Houston que foi muito além do uso drogas. Ela estava mentalmente, psicologicamente e até espiritualmente perturbada. Ela estava sob controle mental ou algum tipo de ritual negro? Difícil dizer. Mas, como Springsteen cantou “We Take Care of Our Own” como se fosse o hino da indústria, eu não pude evitar em pensar, mas acho que Whitney provavelmente não era “um deles”. Sua “substituição aprovada pela indústria”, no entanto, é “um deles”.
 
Fora com o velho, dentro com o novo?

Magnata da indústria, Clive Davis, com Whitney Houston e Jennifer Hudson.

Um dia antes da morte de Whitney, Clive Davis disse a Piers Morgan que Jennifer Hudson seria “a próxima Whitney”. Enquanto Whitney estava sendo reduzida à imagem de “já era”, constantemente humilhada por histórias sensacionalistas, Hudson estava sendo preparada para se tornar a próxima diva da indústria. Depois de ser descoberta no American Idol, a carreira de Hudson decolou … logo após os assassinatos violentos de sua mãe e irmão em 2008. Sua primeira aparição pública após o evento traumático foi cantar o “Star-Spangled Banner” (hino nacional americano) durante o Superbowl XLIII.

Nos Grammy 2012, quem você acha que foi escolhida para homenagear a artista caída cantando seu maior hit “I Will Always Love You”?
 Em sua homenagem a Houston, Hudson foi literalmente colocada “no centro 
das atenções”, enquanto uma imagem de Houston flutuava acima dela.

Outra artista do calibre de Whitney re-emergiu triunfante, quase como um renascimento após um período de silêncio: Adele. No entanto, a cerimónia simbólica do Grammy 2012 não pôde ser concluída sem um verdadeiro ritual com o mundo espiritual. Nikki Minaj teve o cuidado de prepará-la.

A Missa Negra

Nicki Minaj entra no Grammy em uma veste vermelha ritualística, cor de 
sacrifício e de iniciação. Era uma referência ao sacrifício de sangue de Whitney?

A cerimônia do Grammy pode ter começado com uma oração de coração por Whitney Houston, mas acabou com uma Missa Negra totalmente satânica. Da sua entrada no “tapete vermelho” a sua performance musical, Nikki Minaj desempenhou o papel de uma mulher possuída por um demônio chamado “Roman Zolanski”. O Grammy 2012 foi aparentemente escolhido para “exorcizar” esse demônio de Nikki e apresentá-lo ao mundo como seu novo alter-ego. No Grammy do ano passado, Lady Gaga também apresentou uma nova persona para Born This Way: a Gaga com chifres em sua testa.

Em uma indústria musical permeada com o conceito de controle mental, alter-personas que são completamente distintas dos artistas são agora uma norma. O objetivo da programação Monarca é criar novas personalidades dentro de uma vítima de controle mental usando trauma violento e rituais assustadores. As personas que são criadas são totalmente programáveis ​​por seus acessores e pode até mesmo falar com um sotaque diferente, como é o caso do alter de Minaj. O refrão da canção de Minaj, “Roman Holiday” (Feriado Romano) parece referir-se ao processo de controle mental:

Tome a sua medicação, Roman
Tire umas férias curtas, Roman
Você vai ficar bem
Você precisa conhecer a sua estação, Roman
Algumas alterações em suas roupas e seu cérebro
Faça uma pequena pausa, uma pequena  pausa
De seu silenciamento
Há tanta coisa que você pode aguentar, você pode aguentar
Eu sei o quanto você precisa de um feriado romano

Escravos de controle mental são altamente medicados e têm as suas roupas (estilo exterior) e cérebro “alterados” por seus assessores. Isso é realizado forçando a vítima a dissociar da realidade através de trauma e dor intensa: “Há tanta coisa que você pode aguentar” antes de sua mente se dissociar da realidade ou ir a um “Feriado Romano”.

O alter-persona de Minaj é chamado Roman Zolanski. Ele tem seu próprio sotaque estranho e é evidentemente o produto de rituais malignos. O nome desse alter é inspirado no diretor de cinema Roman Polanski, que produziu “O Bebê de Rosemary”, um filme sobre o nascimento do Anti-Cristo. Polanski é ainda mais famoso por ter sido acusado de estupro por uso de drogas, perversão, sodomia, atos obscenos e lascivos em cima de uma criança menor de 14 anos, e fornecer uma substância controlada a um menor em 1977. Sujeito estranho para ser inspirado. Ele é, entretanto, uma parte intrincada na história da indústria do entretenimento oculta de modo que esse “tributo” a ele por uma marionete da indústria, tal como Minaj, não é surpreendente.

A programação Monarca real é realizada usando uma forte corrente de imagens satânicas para perturbar e traumatizar a vítima. No caso da apresentação de Minaj, seu alter ego foi exorcizado em uma Missa Negra Satânica – que é, em essência, um escárnio e uma profanação de uma missa convencional cristã.
Minaj começa sua performance amarrada no que parece ser a igreja católica. A força que possui ela é aparentemente forte demais para segurá-la, porém, e enquanto as janelas da igreja explodem, ela é solta. Minaj, em seguida, desce em uma igreja “toda maluca”, repleta de strippers esfregando em jovens sacerdotes que estão tentando orar a Deus (era realmente necessário?).

Então, enquanto o coro faz uma paródia do clássico hino cristão “O Come All Ye Faithful”, uma figura papal entra e faz Minaj levitar.

Essa missa cristã se transformou em um ritual de magia negra de fogo para o mundo ver.

Em suma, a apresentação de Minaj apresentou ao mundo seu novo alter-ego que estará fazendo rap em seu próximo álbum. Sua performance deixou claro que Roman Zolanski é nada menos que um demônio que foi criado com Minaj e exorcizado através de um ritual de Missa Negra. Se a apresentação foi suficiente para incomodar alguns espectadores, quando é colocado no contexto da morte de Whitney Houston, que aconteceu cerca de 24 horas antes (uma cantora que nunca foi tímida sobre sua fé cristã), a coisa toda assume uma dimensão ainda mais preocupante. Antigos magos carregavam o poder de sacrifícios de sangue para realizar rituais de magia negra. Com a morte de Whitney ainda fresca na mente de todos, a Missa Negra que foi orgulhosamente apresentada pelo Grammy 2012 teve toda a potência sobre seus telespectadores em todo o mundo.


Conclusão

Este artigo apresentou um grande número de fatos e símbolos que apontam para a conclusão de que a morte de Whitney Houston pode ter sido um sacrifício de sangue e que o Grammy 2012 continha elementos ritualísticos ocultos. Mesmo se todos esses eventos não fossem deliberadamente planejados por manipuladores da indústria, todos eles contribuiriam para uma imagem clara e preocupante da indústria da música.

Enquanto a vida de Whitney Houston estava terminando em circunstâncias bizarras e ela foi retratada na mídia como um viciada em drogas sem esperança, uma nova geração de artistas aprovados pelos Illuminati  estavam sendo colocados no centro das atenções. Eles participaram voluntariamente do ritual oculto que foi o Grammy Awards e desempenharam seu papel na comédia-trágica da indústria da música, mesmo que isso significasse perder sua essência e sua alma. O que acontece com aqueles que não jogam junto com o sistema ou se rebelam contra isso? Eles desaparecem dos holofotes e, às vezes eles desaparecem da Terra em circunstâncias menos dignas. Porque, como o mantra do Grammy 2012 indica: a elite cuida de si mesma. E de ninguém mais.

Fonte: VigilantCitizen

Esse post foi publicado em Artistas Illuminatis. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s